domingo, 26 de abril de 2015

Encerramento do 43º Cursilho de Cristandade de Senhoras da Diocese de Beja


De 23 a 26 de Abril de 2015, decorreu no Seminário de Beja o 43º Cursilho de Cristandade de Mulheres da Diocese de Beja.

Participaram da Paróquia de Grândola as senhoras:
  • Carmen
  • Ivone
  • Elizabete
Participaram também do Vicariato do Carvalhal, de que é pároco o Vigário Paroquial de Grândola, Pe. José Bravo, as senhoras:
  • Rosália
  • Fernanda
Na noite de 26 de Abril decorreu no Seminário de Beja, a Ultreia de Encerramento do Cursilho, a que se seguiu um missa presidida pelo Bispo da Diocese de Beja, D. António Vitalino.


Missa dos Jovens e Crianças



sábado, 4 de abril de 2015

Vigília Pascal


A Vigília Pascal, é a celebração mais importante do calendário litúrgico cristão, por ser a primeira celebração oficial da Ressurreição de Jesus. É realizada nas horas de escuridão entre pôr-do-sol no Sábado Santo e o amanhecer da Páscoa. É marcada pela primeira entoação desde o início da Quaresma do Glória e do Aleluia, uma característica litúrgica do Tempo Pascal.

Pelas 22:00 horas, do dia 04 de Abril de 2015, realizou-se na Igreja Matriz de Grândola, a Vigília Pascal.



sexta-feira, 3 de abril de 2015

Via-Sacra pelas ruas de Grândola


Hoje, dia 03 de Abril, Sexta-Feira Santa, as ruas de Grândola foram palco de uma Via Sacra organizada pela catequese e escuteiros da paróquia.

A Via Sacra, consiste em que os fiéis percorram mentalmente a caminhada de Jesus a carregar a Cruz desde o Pretório de Pilatos até o monte Calvário, meditando simultaneamente à Paixão de Cristo.

Presidida pelo pároco Pe. Manuel António do Rosário, a Via Sacra partiu, da Igreja Matriz, pelas 21:00 horas, percorrendo a Rua Luís de Camões, Praça D. Jorge de Lencastre, Rua Jacinto Nunes, Rua de São Sebastião, Avenida António Inácio da Cruz, Rua Dra. Ana Luísa da Cruz Costa, Rua D. Nuno Alvares Pereira, Rua Almeida Garrett e de novo a Praça D. Jorge de Lencastre a a Rua Luís de Camões, terminando na Igreja Matriz.


Celebração da Adoração da Cruz


Sexta-feira Santa da Paixão do Senhor - Único dia durante o ano em que não se celebra missa, apenas distribui-se a comunhão. Nesta celebração somos convidados a compreender e a viver mais profundamente o mistério da cruz: o sofrimento e a morte assumidos por Cristo foram em vista da nossa salvação. A Paixão segundo o Evangelho de João apresenta a cruz como glorificação de Jesus, ela é sinal de salvação e de vitória (cf. Jo 3, 14). A Cruz é símbolo de Cristo e da vida nova que ele nos oferece, por isso, ao reverenciarmos a cruz nós estamos adorando o próprio Redentor. A Oração Universal rezada nesta celebração nos faz lembrar que Cristo veio para que todos, sem distinção, tivessem vida em abundância.
 
Em Grândola a celebração da adoração da cruz realizou-se pelas 18:00 horas, um acto acompanhado por muitos paroquianos, do qual recolhemos algumas imagens:


quinta-feira, 2 de abril de 2015

Celebração da Eucarístia


Quinta-feira Santa é a quinta-feira da Semana Santa, um dia antes da Sexta-Feira da Paixão (a quinta-feira antes da Páscoa). Quinta-feira Santa é o nome dado ao dia em que Jesus celebrou a Páscoa judaica com Seus discípulos, esse evento também é conhecido como a Última Ceia. Dois eventos importantes são o foco da Quinta-Feira Santa.

Em primeiro lugar, Jesus celebrou a Última Ceia com Seus discípulos e assim instituiu a Ceia do Senhor, também chamada de Comunhão (Lucas 22:19-20). Algumas igrejas Cristãs celebram um culto de comunhão especial na Quinta-Feira Santa em memória da Última Ceia de Jesus com seus discípulos.
 
Em segundo lugar, Jesus lavou os pés dos discípulos como um acto de humildade e serviço, criando assim um exemplo de que devemos amar e servir um ao outro em humildade (João 13:3-17). Algumas igrejas Cristãs realizam uma cerimónia de lavagem de pés na Quinta-Feira Santa para comemorar Jesus lavando os pés dos Seus discípulos.

Pelas 18:00 horas do dia 02 de Abril, Quinta-feira Santa, realizou-se na igreja matriz de Grândola a Missa da Instituição da Eucaristia, integrando o lava-pés realizado pelo Pe. Manuel António do Rosário a um conjunto de paroquianos.