terça-feira, 23 de agosto de 2011

Inauguração do Museu de Arte Sacra de Grândola

No dia 23 de Agosto de 2011, realizou-se a inauguração do Museu de Arte Sacra de Grândola. A cerimónia iniciou-se pelas 19:00 horas com uma sessão no Cine-Teatro Grandolense, em que participaram: D. António Vitalino Dantas, Bispo de Beja; Dr. Carlos Beato, Presidente da Câmara Municipal de Grândola; Professor José António Falcão, Director do Departamento do Património Histórico e Artístico da Diocese de Beja; Pe. Manuel António do Rosário, Pároco de Grândola.

No decorrer da sessão, a Diocese de Beja procedeu à entrega da condecoração Cruz de S. Sisenando, ao Dr. Hermann Reidl, Director dos Museus da Diocese de Ratisbona, na Baviera (Alemanha), é perito da Santa Sé para o património e é um dos maiores especialistas a nível da Europa, neste campo. A ele se deve em grande parte a Exposição Rosa Mystica, dedicada a Nossa Senhora, que teve lugar na Alemanha, na primeira década deste século, e que teve como imagem principal a Imagem de Nossa Senhora de Conceição, em Terracota, que se encontra no nosso Museu de Arte Sacra, pelo excelente trabalho em prol do património e da cultura.

Palavras do Rev. Padre Manuel António do Rosário:

* Ex.mo e Rev.mo Senhor D. António Vitalino Dantas, Bispo de Beja;
* Ex.mo Senhor, Dr. Carlos Beato, Presidente da Câmara Municipal de Grândola;
* Ex.mo Prof. José António Falcão, Director do Departamento do Património Histórico e Artístico da Diocese de Beja;
* Ex.mo Senhor Presidente da Assembleia Municipal;
* Ex.mos Senhores Vereadores;
* Ex.ma Senhora Presidente da Junta de Freguesia e Ex.ma Senhora Presidente da Assembleia de Freguesia;
* Ex.mo Senhor Dr. Ceia da Silva, Presidente do Turismo do Alentejo;
* Ex.mo Senhor Eng. Vitor Silva, meu grande amigo;
* Ex.mo Senhor Dr. Hermann Reidl e família;
* Ex.ma Senhora Deputada Municipal Sónia Reis;
* Ex.mo Senhor Prof. Manuel Morão;
* Ex.mo Senhor Presidente da Caixa de Crédito Agrícola da Costa Azul;
* Ex.mo Senhor Presidente do Montepio Geral;
* Ex.mo Senhor Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Grândola;
* Ex.mo Senhor Dr. Antoine Velge, Presidente da Fundação Velge e responsável da Sapec;
* Ex.mo Senhor Comandante dos Bombeiros Voluntários de Grândola;
* Ex.mo Senhor Dr. Germesindo;
* Ex.mo Senhor Manuel Gaio;
* Reverendos Sacerdotes aqui presentes, Cón.º Virgínio Tribanas, Pe. José Maria Coelho e Pe. Francisco Encarnação;
* Estimadas Instituições e Associações, forças vivas da comunidade grandolense, aqui representadas e perdoem-me não as enunciar todas;
* Comissões Fabriqueiras das Paróquias de Grândola, Santa Margarida da Serra e de Azinheira dos Barros-Lousal;
* Ex.mos Jornalistas aqui presentes;
* Caríssimos cristãos destas três Paróquias que me estão confiadas;
* Minhas Senhoras e meus Senhores.

A instalação de uma colecção permanente com peças de Grândola, Santa Margarida da Serra e Lousal, na Igreja de S. Sebastião, Museu de Arte Sacra, coroa o esforço feito aquando da Exposição Locus Jacobi, tal como tive ocasião de referir no dia 5 de Fevereiro e concretiza um sonho, que Deus quer e que, por isso, se torna hoje realidade.

Este dia é também de grande importância porque nos permitirá conhecer visualizando, através de uma viagem à nossa memória colectiva, as raízes profundamente cristãs das nossas comunidades, desde a sua génese até à actualidade, reflectidas em arte que louva a Deus e eleva o espírito humano para o belo, para o transcendente.

O despertar da memória colectiva parece-me ser, aliás, um valor crucial nestes tempos que correm, pois, um povo sem memória, não tem futuro, é órfão de uma identidade própria e, por isso, deixar-se-á facilmente diluir por aparências de modernidade e desenvolvimento, e pelo imediatismo que ameaça deixar-nos mais superficiais, materialistas e pobres.

Mas este dia, atrevo-me também a dizer, responsabiliza-nos a todos na preservação, valorização e segurança deste património. De facto, são muitas as ameaças que pairam hoje sobre ele, oriundas de diferentes campos, e a tentação de o esconder em vez de o mostrar é muito grande, como compreenderão. Hesitámos, pois, sobre o que fazer, mas optámos por aquilo que nos pareceu mais correcto e benéfico para todos, na certeza de que contaremos com o vosso apoio e o vosso empenho.

Este momento é de igual modo adequado para agradecer os apoios que tivemos ao longo de todo este processo.

A primeira palavra deve ser dirigida ao Senhor Presidente da Câmara Municipal, Dr. Carlos Beato, apoiante entusiasta desde a primeira hora. Mas não gostaria de omitir aqui o papel dos Senhores Vereadores, nomeadamente da Senhora Vereadora Graça Nunes, dos técnicos e dos funcionários do Município, e permitam-me salientar a Eng. Paula Brito, a Dr.ª Isabel Revez, a Dr.ª Célia Costa, o Dr. Jorge Rodrigues e as equipas por eles chefiadas. Quero ainda salientar e agradecer ao Senhor Libânio, ao Senhor Arnaldo e aos trabalhadores do Município que foram imprescindíveis neste projecto;

Uma palavra deve ser dirigida à Sapec e quero fazê-lo na pessoa do Dr. Antoine Velge, a quem devemos a doação da Igreja do Lousal à Paróquia de Azinheira dos Barros-Lousal, recordada no passado dia 31 de Julho, e o empréstimo da magnífica pintura de S. Jorge combatendo o dragão, escolhida para motivo desta Exposição;

Quero agradecer ainda ao Senhor Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Grândola, pela cedência da custódia que passará a integrar esta Exposição, embora não seja possível visualizá-la hoje. Em breve será possível;

Uma outra palavra de agradecimento quero também dirigi-la aos cristãos, às empresas, aos particulares, aos amigos mais ou menos praticantes, que também se envolveram e nos apoiaram. Muito obrigado.

O esforço em prol do património de Grândola, porém, não terminou, deixo-vos, por isso, um apelo. Depois do restauro integral da Capela das Almas e de um conjunto de estatuária, que ainda não nos foi entregue na totalidade, é nosso desejo prosseguir o restauro do telhado da Matriz e dos demais quatro altares. Para o efeito, já consultámos quatro empresas da especialidade, devendo agora passar à fase do estudo das propostas e da decisão sobre as mesmas. A vossa ajuda, amigos, é essencial para prosseguirmos este projecto, uma vez que, a Paróquia, por si própria, não tem capacidade, e só o vosso apoio permitiu que tivéssemos investido até ao momento na salvaguarda e valorização do nosso património cerca de 150 mil Euros.

Ao terminar esta minha intervenção não poderia omitir o apoio que temos sentido do nosso Bispo, D. António Vitalino Dantas e, sobretudo, do Departamento do Património Histórico e Artístico da Diocese de Beja, na pessoa dos meus amigos e amigos de Grândola, o Prof. José António Falcão, a Dr.ª Sara Fonseca, o Senhor Cavalinhos, o Senhor José Guerreiro e o Senhor Barroca. Sem eles este dia não seria possível, desta forma que vamos poder testemunhar a seguir.

Muito obrigado.

Pe. Manuel António Guerreiro do Rosário

O Museu de Arte Sacra irá estar aberto ao público de Quarta-feira a Domingo, das 10:30 horas às 13:00 horas e das 14:30 horas às 18:00 horas.

1 comentário:

  1. Parabéns pela excelência da cerimonia e pelo museu.
    Bispo de beja

    ResponderEliminar