domingo, 6 de junho de 2010

Cantata a Santo Agostinho


Uma orquestra, quatro coros e um solista apresentam a “Cantata a Santo Agostinho”, uma Peça Coral Sinfónica da autoria do padre António Cartageno, o maior compositor português de música sacra.

Esta mega produção foi apresentada no Parque de Feiras e Exposições de Grândola, hoje às 21h30.

A Cantata a Santo Agostinho reúne no mesmo palco sob a orientação do Maestro Mário Nascimento, a Orquestra Sinfónica Juvenil de Lisboa, o Solista João Pedro Sebastião, o Coral Polifónico Vozes da Vidigueira, o Coro do Carmo de Beja, o Coro Polifónico e Instrumental da Sociedade Harmonia Reguenguense e o Grupo Coral do Clube Galp Energia.

A obra que foi encomendada ao padre Cartageno pela Diocese Leiria-Fátima, para assinalar os 1650 anos do nascimento de Santo Agostinho, seu padroeiro, está dividida em quatro temas: Prólogo, A Procura, O Encontro e O Louvor ao Homem Justo, que no espectáculo se traduzem em momentos a solo e diálogos entre coros, orquestra e solista.

Compositor reconhecido, o padre António Cartageno é diplomado em Canto Gregoriano e em Composição Sacra pelo Pontifício Instituto de Música Sacra de Roma, sendo membro do Serviço Nacional de Música Sacra.

A cantata a Santo Agostinho, encerra o programa das festividades em honra de Nossa Senhora da Penha, padroeira de Grândola, e conta com uma organização do Município e Paróquia de Grândola e os apoios do Montepio, Herdade da Comporta e Galp Energia.